Unidade de Produção de Alevinos da Vila Amazônia recebe 150 mil pós-larvas de tambaqui

Seis anos após iniciado o projeto da Unidade de Produção de Alevinos (UPA), na comunidade Nossa Senhora de Fátima, Açaí, km 16, no Projeto de Assentamento Vila Amazônia, o tanque berçário de 600 metros quadrados recebeu na sexta-feira 150 mil pós-larvas da espécie tambaqui (colossoma macropomum), uma conquista de grande importância para o desenvolvimento da cadeia produtiva da piscicultura no município de Parintins, dando oportunidades reais aos agricultores de iniciar a atividade de criação de peixe.

O prefeito em exercício Maildson Fonseca recebeu as pós-larvas no porto da cidade. Elas foram doadas pela Secretaria Executiva de Aquicultura e Pesca (SEPA), ligada à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) para a Prefeitura de Parintins, por meio da Secretaria de Pecuária, Agricultura e Abastecimento (Sempa) que está gerenciando o projeto.

Para que as larvas chegassem à Vila Amazônia toda uma logística de transporte foi executada envolvendo vários técnicos. Foram 198,6 km do Centro de Produção de Alevinos de Balbina até Manaus (na BR 174), mais 365 km em lancha rápida de Manaus a Parintins, depois seguiram de voadeira até a Vila Amazônia e outros 17 km do porto do PA até a comunidade do Açaí onde está localizado o berçário.

O secretário da Sempa, Edy Albuquerque enalteceu a parceria com o governo do Estado e a visão empreendedora do prefeito Bi Garcia e do vice Tony Medeiros que tem dado o incentivo necessário para colocar em prática o projeto modelo que incentiva a criação de peixes em cativeiro na unidade demonstrativa. Ele ressaltou também o empenho do coordenador de Piscicultura, José Cursino, que esteve na SEPA e Sepror no encontro que definiu a doação das pós-larvas. “A intenção da administração do prefeito Bi Garcia é incentivar a piscicultura no município o que vai gerar renda para a população rural e melhores expectativas de vida”, comemorou Albuquerque.

O coordenador de Piscicultura José Cursino explicou que esta fase de pós-larvas é de formação da vida do peixe que posteriormente se transforma em alevino, por isso foi possível fazer o transporte sem grandes riscos de mortalidade. As pós-larvas de tambaqui foram depositadas na UPA, onde passarão por uma recria de 45 dias até serem transformadas em alevinos de tambaqui. “A gente cuida como se fossem uns bebezinhos que vão ser doados futuramente aos agricultores familiares interessados em iniciar a atividade de criação de peixes. Parintins será um pólo de produção de alevinos para atender a demanda dos produtores locais e dos municípios de Barreirinha, Nhamundá e Boa Vista do Ramos onde existem áreas propícias para o desenvolvimento da atividade”, explicou Cursino.

Etapa inicial

A Unidade de Produção de Alevinos foi construída em convênio do Governo do Estado com a Associação dos Produtores piscicultores do PA Vila Amazônia, no final de 2011, mas o projeto ficou paralisado por 4 anos. Ao assumir o governo, o prefeito Bi Garcia retomou as ações que estão em andamento com o trabalho de técnicos da coordenadoria de Piscicultura da Sempa, tendo a frente o coordenador José Cursino. Ele destaca a parceria com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (IDAM), que incentivou os trabalhos e a persistência de agricultores como João Pizano que foi um grande incentivador e o iniciante do cultivo de peixe em viveiros escavados de igarapé.

De acordo com Cursino, o projeto é muito mais ousado porque vai trabalhar um sistema integrado de piscicultura e agricultura, de forma que a UPA gere recursos e se torne autossuficiente. “A Sempa está trabalhando um projeto para trinta balcões de cheiro verde, um pomar com frutas como banana, cupuaçu, açaí, abacaxi, mamão e outras”, salientou. Ele agradeceu o apoio do prefeito Bi Garcia, do vice Tony Medeiros e do secretário Edy Albuquerque que estão apostando no sucesso da UPA e apoiam a capacitação dos produtores interessados na criação de peixes em cativeiro no município.

 

 

Peta Cid/SEMPA