Defesa de Lula entra com pedidos de liberdade no STF e STJ

Lula está preso desde 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba(foto: Miguel Schincariol / AFP)

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ingressou com pedidos no Supremo Tribunal Federal (STF) e no Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que ele seja colocado em liberdade. Os advogados questionam o fato de o petista estar preso antes de julgamento nos tribunais superiores.

Nos pedidos de efeito suspensivo, encaminhados à Justiça, o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende Lula, pede que ele fique solto até a análise dos recursos que foram apresentados ao STF e STJ. O defensor argumenta que não deve ser aplicada a prisão neste caso, que se trata de antecipação do cumprimento de pena.

Na peça, Zanin alega que existem grandes chances de que dois recursos sejam aceitos pelo Poder Judiciário. “Os pedidos demonstram a plausibilidade dos recursos especial e extraordinário que foram protocolados perante o TRF4 no dia 23/04 e ainda aguardam as respostas que serão apresentadas pelo Ministério Público Federal (o prazo para as respostas se iniciou na data de hoje, 42 dias após a interposição)”, afirma.

A defesa do petista também alega que o caso não deveria ter parado nas mãos do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. “A Justiça Federal de Curitiba foi escolhida, por critério de conveniência, pelos Procuradores da Lava Jato para julgar a ação penal proposta contra Lula e para isso bastou a afirmação – sem nenhuma comprovação real – de que recursos provenientes da Petrobras teriam sido dirigidos ao ex-presidente”, completa o texto do pedido.

 

Renato Souza/correiobraziliense.com.br