Dos 24 deputados estaduais do AM 17 defendem eleição indireta

Praticamente a totalidade dos deputados da Assembléia Legislativa do Estado (ALE) está confiante de que não haverá eleição direta para Governador e apostam que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deva suspender as eleições já marcadas para o primeiro e segundo turno, nos dias 6 e 27 de agosto.

A confiança em uma eleição indireta é tanta, que o presidente interino da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), Abdala Fraxe (PTN), já ingressou, com uma ação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para suspender a eleição direta e decida que os 24 deputados estaduais possam escolher através do voto indireto o novo governador do Estado.

“Queremos apenas que se cumpra a Constituição Federal. O governador deve ser escolhido de forma indireta pelos deputados, de acordo como que determina a legislação”, disse Abdala Fraxe. A ação está tramitando no TSE e, até esta quarta-feira (17), deve ser distribuída a um ministro relator.

Hoje, dos 24 deputados da ALE, 17 deles já declararam que se a eleição indireta vingar irão votar em Davi Almeida para governador. Por tanto, o atual governador-tampão irá se tornar governador de fato.

Caso seja eleito nessa eleição indireta pelos deputados, Davi Almeida teria o direto de se reeleger no ano que vem e teria mais quatro ano pela frente para implementar a revolução que vem fazendo em poucos dias de gestão.
Nesta edição, o Congresso da ABRH propõe uma reflexão sobre o atual cenário do ambiente de negócios, na perspectiva da retomada de crescimento. O tema do evento está muito afinado com o momento atual da cooperativa, de expansão, e o lançamento do UniFácil é um exemplo nesse sentido.

 

correiodaamazonia.com

Comentários

comentários

COMPARTILHAR