Benção de Pai

Em março de 2013, a jovem Keiziane Pereira Batalha, de 24 anos, me ligou dizendo que precisava conversar sobre Investigação de Paternidade. Estava tentando juntar as peças de um quebra cabeça para descobrir a identidade do seu pai biológico e acabar de vez com a frase PAI IGNORADO que constava em sua certidão de nascimento. Sua mãe havia citado dois nomes e o primeiro procurado reagiu de forma áspera, demonstrando total desconforto em falar sobre o assunto; restou então o plano “B”, a segunda pessoa, e foi exatamente por isso que ela havia me procurado. Eu sabia da existência da Keiziane mas muitas coisas precisavam ser esclarecidas; sua mãe, na época, era bem jovem , bonita, tinha um namorado e lá pelos quatro meses de gravidez, namorando o irmão do ex-namorado, falou para o meu irmão e minha cunhada que o filho que carregava no ventre seria meu. Deduzi que aquela afirmação era apenas para se asssegurar do amparo do irmão do ex e justifiquei que seria complicado admitir tal afirmação diante de tanta incerteza. Muitos anos se passaram e Keiziane veio bravamente atrás de uma resposta; nao queria chantagear, explorar, lucrar, extorquir ou se beneficiar; queria um pai, um amigo e dizer ao pequeno VINÍCIUS que ele tinha um avô paterno. Quando fui procurado, ví a chance de muitos esclarecimentos e não ousaria fugir de um assunto que além de ser do meu interesse, eu tinha “culpa no cartório” e gostaria de saber o desfecho daquela investigação.Propus a jovem que fizéssemos um exame de DNA; acertamos dia, hora, laboratório e fizemos tudo conforme combinamos. Antes de tudo falei: Não tenho certeza de nada mas vou torcer para que você seja minha filha. E cometi um deslize dizendo: Vejo muitos traços do outro em você!. No dia 24 de abril de 2O13, chegou o Laudo Técnico Pericial do laboratório DYAGEM e no momento que rasguei o envelope e comecei ler o resultado, liguei para Keiziane que estava em Manaus e fiquei fazendo a transmissão de tudo que estava escrito naquele documento. Lí: Identificação das Partes; Coleta de Material; Relatório Técnico; Resultados e Conclusões. Na ultima folha estava escrito: Está evidenciado que o suposto pai de Keiziane Pereira Batalha… Suei frio, fiquei sem ar, respirei fundo e ela perguntou: E aí?. Eu ainda nervoso e surpreso falei bem alto: TOME BENÇÃO DO SEU PAI!! Depois disso, registrei a minha filha e reconheço que não sou o pai que deveria ser; passamos tanto tempo longe que precisamos conviver mais para acordar esse amor familiar. Me perdoe minha filha querida, ainda tenho muitos conflitos internos que me torturam; preciso fazer as pazes com a minha consciência e também preciso curar o peso da minha culpa. Amo você, o Vinícius e o tempo vai provar tudo isso!.

 

Inaldo Medeiros

Foto: Ilustração/JI

Comentários

comentários

COMPARTILHAR